“Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor.” (Cora Coralina)

30 de janeiro de 2014

Reforma Íntima

O burilamento moral e a prática do bem, constituem nosso dever na caminhada para a frente, entretanto, não podemos esquecer que todo obstáculo é marcado de oportunidades para o passo adiante, na senda da elevação.
Na escola terrena, forma-se o aluno, teste a teste, para que se lhe garanta o aprendizado cultural.

No educandário da vida, o espírito, de prova em prova, adquire o mérito indispensável para a escalada evolutiva.
Toda lição guarda objetivo nobilitante, por isso, qualquer dificuldade se reveste de valor espiritual, que é preciso ser compreendida para obter-se o proveito necessário.
Em toda existência, as instruções se revelam com caráter diverso, por isso, devemos entender:
- a tentação, como degrau de acesso à fortaleza espiritual;
- a ofensa, como ocasião para praticar-se o perdão;
- o sofrimento, como caminho para a obtenção de paciência.
A necessidade do próximo, deve significar, em nós, o impositivo da prestação de serviço fraterno. Por isso, quando a incompreensão ou a intolerância se fizerem presentes em nossos irmãos de caminhada, terá chegado, para nós, o dia do entendimento e da serenidade.
Se a revolta, o abatimento e as atribulações nos visitarem, não devemos nos desesperar, nem nos rebelarmos, pois esses sentimentos, além de gerarem conflito e lágrimas, são as respostas mais infelizes que podemos dar aos desafios edificantes da vida.
Deus, Pai amoroso e justo, não nos confiaria problemas, se eles não nos fossem necessários.
Urge que reflitamos da urgência de uma reforma íntima, sincera, em nós.
Vamos nos perguntar o que realmente desejamos, pois, só depende de nós permanecer acomodados e estagnados, ou avançar valorosamente, confiantes na obtenção de mais luz em nossas vidas.

(Grupo de Apoio Fraterno)

2 comentários:

  1. Olá,

    que bom ter encontrado seu blog!

    Aqui posso dizer o quanto sou acinzentado por dentro e quantas linguas de pecados negros exalo dpor aí, sem pejo nem pudor!
    Então quando me deparo com pessoas como você tenho a sensação de que nem deveria mais estar por aqui e no mínimo quem sabe no Quinto dos infernos de Dante de Aliguirei.
    Verdade, pois exalo aquilo que entre vocês é uma espécie de improbabilidade existencial condenável: o erro!
    Eu simples mortal, portanto, virei sempre por aqui tentando lavar a lama e enxugar feridas inevitáveis das agressões que pratico com a vida e na mesma proporção ela me atinge.
    E neste toma lá e dá cá ela sempre triunfa.
    Sei perder!
    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom gostou do blog Paulo!

      Se precisar de alguma informação sobre o que está lendo por aqui, posso tentar te ajudar, nas postagens sempre coloco a referência de onde vem o texto.

      Obrigada por sua atenção.

      Paz e Luz!

      Excluir