“Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor.” (Cora Coralina)

3 de fevereiro de 2014

EMANCIPAÇÃO DA ALMA

Ao longo do ciclo evolutivo pessoal, a alma passa por inúmeras alterações. Como um diamante bruto, a lapidação da alma se dá constantemente através das experimentações que ela mesma escolhe.
Diante do Conselho Cármico à alma é dada a consciência de seu estado evolutivo e quais as tendências que podem, numa próxima oportunidade, serem trabalhadas em prol de si mesma.
Do momento em que a alma toma conhecimento do que necessita e o que deverá fazer por livre escolha a favor de si mesma, com concordância e limpidez de todo o seu quadro a ser consumado, a alma acede e inicia-se o preparo prévio para sua encarnação nos locais designados para o início de sua aventura terrena.
Chegado o momento de ver a luz do dia terreno, a alma inicia suas experiências respaldada pelo esquecimento do seu passado e, com o passar dos anos, as tendências a serem trabalhadas começam a se apresentar em sua maneira de ser e de se colocar diante das situações conflitantes nas quais concordou em enfrentar.
Assim sendo, no desenrolar da encarnação, aparentemente longa para a terceira dimensão, e um piscar de olhos perante a eternidade, a alma se depura, vence a si mesma ou entra em combate com aqueles com os quais se comprometeu a vencer as batalhas, nem sempre fáceis, fazendo-os bons companheiros de jornada ou aprofundando-se nos comprometimentos com eles.
Se apresentar vitórias nas conquistas pessoais internas será vencedora na encarnação, não levando adiante sequelas negativas. 
Esse é o objetivo da reforma íntima realizada mais profundamente aqui no palco terreno das atividades humanas.
Os encarnados estão em processo de aprendizado interior para um dia alcançarem a libertação da roda dos nascimentos e ascenderem aos patamares dos mundos felizes. Essa é a meta. Esse é o motivo pelo qual todos possuem o livre-arbítrio.
Lembrando sempre que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Urge realizar a reforma íntima para emancipar a alma.
(Grupo de Apoio Fraterno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário